sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Matemática.

  Nunca fui boa com números.

  Tudo era muito bem explicado, todos os detalhes, por tanto tempo e mesmo assim eu nada entendia.

  Calculadora me deixava aliviada e trocaria qualquer prova de matemática por mais simples que fosse por uma extensa redação de no mínimo 40 linhas, então a última coisa que eu poderia imaginar era gostar de contar.

  Ultimamente tenho contado todas as horas, minutos e segundos que você demora para dar notícias, todo o tempo que você não dedica nem um pouco a mim. Me enlouquece os poucos milésimos de segundos que duram uma conversa tão esperada com você.

  Eu não sei o que aconteceu, sei que você sempre foi melhor aluno de matemática do que eu, pedi ajuda a você muitas vezes, meio envergonhada em perceber que gastava as folhas de cálculo desenhando coisas sem sentido, você sempre soube tudo.

  Sei que esse tempo contado também corresponde ao tempo em que eu não estou pensando em mim, cuidando do meu lado melhor, do que eu realmente sei e gosto de fazer.

  Por isso acho que paro aqui, nunca gostei de usar relógio mesmo, não tenho necessidade de ter um tomando conta de mim, me lembrando que você anda contando muito por ai.

  Vou ativar o despertador do meu celular, já passou da hora de acordar.


Texto: Luana Barreto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário