segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

E agora hein?




Me falaram que você não existia, contaram que era só ilusão.

Devo confessar que tenho um medo danado dessa coisa de sentimento, esse envolvimento doido que deixa todo mundo bobo e vai tirando um pouco da gente para doar ao outro. Eu sou medrosa mesmo porque meu coração é cheio de band-aid e nem é aquele colorido.

Mas ai você veio querendo saber se o livro que eu estava lendo era legal e ai meu amigo, já era. 

Tá, relaxa, não estou falando que me apaixonei por você naquele exato momento, a pergunta não foi nada demais, o seu olhar profundo e verdadeiro que foi demais para o meu medo. 

Estou cheia de cuidados para não falar demais, fico segurando a empolgação e fingindo que o seu jeito de rir e o seu cabelo bagunçado é super comum aos meus olhos mas...nossa...

E agora hein? para onde vamos assim tão inocentes sobre as coisas ruins que chegam? é que eu nunca pensava na parte ruim e depois de tanta revolta começamos a querer levar em conta isso também. Acontece que as suas manias me irritam pra caramba, eu continuo defendendo as causas dos porquinhos e você insiste em pedir pizza de bacon.

Eu continuo aqui depois de tudo. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário