quarta-feira, 8 de abril de 2015

Já foi.



No começo eu pensava que não ia conseguir gostar de mais ninguém, achava que tinha perdido toda a esperança de estar inteiramente nos pensamentos de alguém. Eu comecei a disfarçar e tentar a voltar a ser a pessoa despreocupada que eu era antes de te conhecer, todo mundo engoliu a história, menos eu.

Sabe o que era mais impressionante? algo me dizia que você nunca sentiu o mesmo, não sentiu a minha falta em momento algum mas fingia que sentia só para não perder o jogo assim tão rápido. Conseguiu ter alguém para te admirar assim como outras já faziam, acontece que ás vezes alguém cansa e ai você precisa ir atrás de outra para assumir esse papel.

Em algum momento eu parei de chorar, em outro momento comecei a me perguntar o que eu vi em você, no momento seguinte passei a te odiar, até que finalmente você era somente mais um desses caras que não assumem a carência que carrega e transforma isso em um escudo atingindo outras pessoas carentes.

Agora eu poderia ser sua vizinha, sua colega de sala em um curso qualquer, poderia te ver todos os dias que nada seria como antes. Depois de você percebi que o final é sempre ruim mesmo.

Texto: Luana Barreto.


Nenhum comentário:

Postar um comentário